No ar:
Santiago Atualidade - Paulo Pinheiro    10h00min às 11h25min

Ouvir!     

» Geral » Artigo


22/02/2018 | 09h17min

Ar condicionado também é questão de saúde

Presidente da da ASBRAV, Eduardo Hugo Müller, diz que é fundamental um cuidado maior com a qualidade do ar interior, para evitar doenças tanto no verão quanto no inverno

Eduardo Hugo Müller. Foto: DivulgaçãoEduardo Hugo Müller. Foto: Divulgação

No verão, o uso do ar condicionado aumenta bastante para trazer maior conforto térmico para residências, comércios e indústrias. Porém, o projeto de climatização bem executado também é importante para a saúde em todas as estações do ano. O convívio em ambientes fechados pode gerar um composto químico conhecido como dióxido de carbono (CO2) que afeta diretamente o bem-estar das pessoas. Ao inspirar e expirar as pessoas produzem uma certa quantidade de CO2 que, após algum tempo e sem a renovação do ar no ambiente, pode tornar-se nocivo, fazendo com que as pessoas sintam-se cansadas, com sono, sofram uma queda de produção e, ainda, podem contrair uma doença respiratória devido a redução de imunidade pelo gás produzido entre elas.

 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) já identificou, em estudos, que as pessoas ficam cerca de 80% da vida em locais fechados. Diante desta realidade, é fundamental um cuidado maior com a qualidade do ar interior, para evitar doenças tanto no verão quanto no inverno. Um equipamento instalado de maneira correta, com a manutenção em dia e com a carga térmica calculada de acordo com a área refrigerada, será um grande aliado da saúde. Por isso, destaco que estes três itens essenciais para o bom funcionamento do sistema de climatização, seja ele em prédios comerciais ou residenciais, precisam ser realizados por profissionais qualificados.

 

O sistema de ar condicionado possui capacidade de retirar a umidade absoluta (quantidade de água no ar), mantendo uma temperatura agradável e corrigindo a umidade relativa do ar.Em um ambiente, a temperatura entre 22 - 26°C, e uma umidade relativa entre 50-60%, encaixam-se no que é considerado ideal em ambientes onde as pessoas vivem e trabalham. O conforto térmico, a troca saudável do ar interior com o ar exterior e a manutenção da umidade relativa do ar adequada são apenas alguns dos benefícios do equipamento, ainda em crescimento no país, pois estima-se que cerca de 25% da população brasileira tenha ar condicionado em casa.

 

*Eduardo Hugo Müller

 

Presidente da ASBRAV - Associação Sul Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Aquecimento e Ventilação


Veja também:


19/09/2018 | 09h49min

» Meio Ambiente: Rio começa a multar comerciantes por uso de canudo de plástico

19/09/2018 | 09h25min

» Memória: Unesco estima em 10 anos prazo para restauração do Museu Nacional

19/09/2018 | 09h23min

» Loteria: Mega-Sena acumula e deve pagar prêmio de R$ 17 milhões nesta quinta


Comentários:


Voltar ao topo