No ar:
Tá em casa - Ieda Beltrão    14h00min às 15h00min

Ouvir!     

» Geral » Literatura


26/10/2017 | 09h04min

Alunos da escola da Uri escrevem livro de contos

Lançamento de "Os melhores contos sadios da América Latina" ocorreu na terça (24)

"Os melhores contos sadios da América Latina". Foto: Divulgação"Os melhores contos sadios da América Latina". Foto: Divulgação

Na tarde de terça-feira (24), os alunos do segundo ano da Escola da URI lançaram o livro "Os melhores contos sadios da América Latina".

 

Segundo a professora Ana Paula Milani Zaboetski, o trabalho de produção teve início em maio, quando a turma foi dividida em oito grupos e cada um deveria produzir uma narrativa no gênero "conto". “Os estudantes já tinham conhecimento prévio sobre os gêneros textuais e os elementos da narrativa. A temática era livre, e eles escreveram sobre os mais variados assuntos: maçonaria, psicologia, loucura, escravidão, ditadura, violência, conflitos pessoais e tecnologia”, contou a professora.

 

Após a entrega dos contos e feita a revisão pela docente, os textos foram lidos em aula para que todos os contos se tornassem conhecidos por toda a turma. O legal é que cada um deu sua contribuição: a capa, a organização, a escolha do título, tudo foi feito na coletividade, decidido por votação.

 

A professora Ana Paula, da disciplina de literatura, conta que com este trabalho, pretende-se aprimorar as habilidades linguísticas dos alunos, na escrita e na expressão oral, bem como incentivar a criatividade, a responsabilidade e a tolerância no trabalho em equipe. “Atingimos nossos objetivos quando vimos nosso livro pronto, sendo resultado do esforço particular de cada um em prol do desenvolvimento da coletividade”, disse. 


Veja também:


19/12/2018 | 09h55min

» Região: Jaguari adere ao programa Estratégia Amigo da Pessoa Idosa

19/12/2018 | 09h45min

» Loteria: Mega-Sena acumula e prêmio pode chegar a R$ 50 milhões

19/12/2018 | 09h30min

» Economia: 60% dos brasileiros que economizam escolhem a poupança para guardar dinheiro


Comentários:


Voltar ao topo