No ar:
Geração 2000 - Jones Diniz    20h10min às 23h59min

Ouvir!     

» Geral » Meio Ambiente


31/08/2017 | 09h47min

Agentes de saúde fazem varredura contra a dengue no cemitério de Santiago

Missão era a de eliminar possíveis focos do mosquito e aplicar larvicida onde pudesse ser encontrado

Foto: DivulgaçãoFoto: Divulgação

A combinação de chuva, seguida de dias mais quentes é a preferida do mosquito da dengue. O aedes aegypti aproveita qualquer tampinha de garrafa com água parada para depositar seus ovos e se proliferar. Imagine, então, a diversão que é para ele um cemitério, um ferro-velho, uma caixa d'água descoberta.

 

Na terça mais de 100 agentes comunitários e de controle de endemia de Santiago, Unistalda, Itacurubi e Capão do Cipó participaram de uma capacitação em vigilância e controle vetorial do aedes aegypti promovida pela Secretaria de Saúde do Estado e 4ª Coordenadoria de Saúde.

 

Nesta quarta todos foram "a campo" para colocar em prática o treinamento, fazendo uma varredura no cemitério de Santiago, verificando cada corredor, cada espaço estreito, cada vão. A missão era a de eliminar possíveis focos do mosquito e aplicar larvicida onde pudesse ser encontrado. Mas o trabalho não para por aqui e requer a conscientização de cada pessoa que precisa assumir a sua parte nesta luta constante.


Veja também:


24/02/2018 | 13h41min

» Economia: Clientes do Banco do Brasil poderão usar Facebook para fazer transações bancárias

24/02/2018 | 13h39min

» Sustentabilidade: Uso da água e desigualdade na oferta precisam ser discutidas, diz especialista

24/02/2018 | 12h40min

» Meio Ambiente: Famílias se sustentam com a reciclagem do lixo em Santiago


Comentários:


Voltar ao topo