No ar:
Jornada Esportiva - Rede Gaúcha Sat    14h00min às 18h00min

Ouvir!     

» Esporte » Copa do Mundo da Rússia


06/07/2018 | 05h08min

Melhor ataque x melhor defesa: tudo do jogão entre Brasil e Bélgica

Times se enfrentaram na Copa de 2002 pelas oitavas, com vitória brasileira

Foto: Divulgação/CBFFoto: Divulgação/CBF

Chegou a hora, não tem para onde correr. Sexta-feira e a Copa do Mundo terá o nosso Brasil maravilhoso em campo. E a coisa promete ser complicada. Se em 2002 nós encaramos a Bélgica nas oitavas, neste ano vai ser nas quartas. No último encontro, alegria verde e amarela e vitória por dois a zero. Agora, na Rússia, as seleções volta a ficar frente a frente na Arena Kazan, 16 anos após o último encontro em Copas.

 

As duas equipes chegam ao duelo com um equilíbrio muito grande. Será o encontro do melhor ataque contra a melhor defesa, jogo que representa a luta pela volta da hegemonia contra os que querem entrar para a história, já que a Bélgica nunca ganhou um título com sua seleção principal.

 

Sob o comando do técnico Roberto Martinez, os belgas tem 24 jogos, incluindo os da Copa do Mundo. São 18 vitórias, 5 empates e apenas uma derrota.

 

E a já conhecida geração belga, que conta com jogadores como De Bruyne, Hazard e Lukaku, tem mostrado que a especialidade da casa não se limita à chocolates e cervejas. A Bélgica tem o melhor ataque da Copa, são 12 gols em quatro jogos. Nas 24 partidas sob o comando do técnico Martinez, o número salta para 76. O atacante Lukaku, inclusive, está na briga pela artilharia do Mundial com quatro gols, dois a menos que o inglês Harry Kane.

 

No entanto, o jogo ofensivo abre brechas para contra-ataques dos adversários. Os belgas sofreram quatro gols na Copa, sendo que dois deles foram marcados pela fraca seleção da Tunísia. A defesa ainda foi vazada outras duas vezes contra o Japão, na partida das oitavas.

 

Se do lado de lá esse problema ainda precisa ser resolvido, a seleção brasileira tem o equilíbrio como uma de suas virtudes. Sob o comando de Tite, a seleção não faz tantos gols quanto os belgas, mas também não deixa que os adversários marquem. Para se ter ideia, foram apenas seis gols sofridos e 54 marcados em 25 partidas. Na Copa, o Brasil sofreu apenas um, na estreia contra a Suíça, e marcou outros sete.

 

Para a partida, o técnico Tite tem como desfalque certo o volante Casemiro, que levou o segundo cartão amarelo na última partida e cumprirá suspensão. Fernandinho fica com a posição. Marcelo retorna ao time após sentir um espasmo no jogo contra a Sérvia e sequer entrou em campo contra o México.

 

De resto, o time não deve mudanças. A seleção canarinho deve ir à campo com Alisson no gol; Fagner, Thiago Silva, Miranda, capitão nesta partida, e Marcelo no setor defensivo. Fernandinho, Paulinho e Phillipe Coutinho formam o meio-campo, enquanto William, Neymar e Gabriel Jesus formam o ataque.

A bola começa a rolar às três horas da tarde, horário de Brasília.


Veja também:


18/11/2018 | 14h01min

» Esporte: Definidos os semifinalistas da Primeirona de Campo

16/11/2018 | 21h08min

» Seleção: Com pênalti, Brasil vence Uruguai por um a zero

16/11/2018 | 06h10min

» Seleção: Desfalcado de Coutinho e Marcelo Brasil enfrenta o Uruguai


Comentários:


Voltar ao topo