No ar:
Clube do Ouvinte - Jorge Augusto Gonçalves    20h10min às 22h00min

Ouvir!     

» Esporte » Inter


05/04/2018 | 10h49min

É a hora de se doar mais, correr mais, marcar mais", disse D Alessandro

Argentino falou também do Brasileirão " O Inter vai encarar cada jogo do Brasileirão como “guerra”

Foto: Lucas Uebel/Grêmio/DivulgaçãoFoto: Lucas Uebel/Grêmio/Divulgação

Na data em que o Inter completou 109 anos, D'Alessandro concedeu entrevista coletiva na tarde desta quarta-feira (4) e projetou os desafios que o Inter terá pela frente nas disputas da Copa do Brasil e Brasileirão.

 

"Precisamos entender o momento que o Inter está vivendo e tirar o máximo de cada um. É a hora de se doar mais, correr mais, marcar mais", disse o argentino. Confira os principais trechos da entrevista:

 

Dia especial

 

"Hoje é um dia diferente, de aniversário do Clube, que representa muito para nós, o oitavo que eu vivo aqui dentro. O torcedor começa a puxar lembranças, feitos relevantes, como diz o nosso hino, assim como momentos não tão bons. Mas isso tudo faz parte do futebol - tem pedras no meio do caminho que temos que pular, mas a história do Inter é isso também."

 

Grupo focado

 

"O Inter saiu de uma Série B e se refoçou, trouxe jogadores. O grupo que temos está bem focado no trabalho. Somos conscientes de que o Clube está vivendo um outro momento. Precisamos ter a capacidade de entender que vamos ter que nos doar mais, correr e marcar mais. É claro que vamos querer sair jogando, com a bola no chão, mas vamos precisar de equilíbrio defensivo e ofensivo. Concentração e capricho serão importantes. Vamos encarar cada jogo como se fosse uma guerra, tirando o máximo de cada um.Temos um mata-mata (contra o Vitória, pela Copa do Brasil) e um começo de Brasileirão muito difícil. Por outro lado vamos enfrentar times que estarão disputando a Libertadores. Não podemos nos apequenar e, sim, enfrentar de igual para igual. No ano passado fizemos bons jogos contra times grandes."

 

Para ficar na "ponta dos cascos"

 

"Ficam sem jogar nunca é bom. Não é uma coisa que a gente queria, mas quando se tem este momentos, tem que aproveitar para treinar um pouco mais. Na semana passada demos mais ênfase à parte física, por isso chegamos um pouco cansados no jogo-treino (contra o Caxias), com a chuva ainda, campo pesado. O objetivo principal é ganhar condicionamento, aprimorar alguma coisa na parte física, técnica e tática. Depois virá jogo a cada três dias, já no começo do Campeonato Brasileiro, então terá pouco tempo para treinar. É importante todos estarem bem preparados, na ponta dos cascos, para estarmos prontos quando o professor (Odair Hellmann). E ele vai precisar de todo mundo, pois é muito difícil, com a sequência que teremos pela frente, jogar todas as partidas com o mesmo time."

 

A força da bola parada

 

"Os treinos fechados são bons para trabalhar as jogadas ensaiadas e a bola parada. São muito importantes nos jogos em que os adversários jogam mais fechados. A bola parada tem decidido muitos jogos. Temos treinado bem e a nossa bola parada melhorou muito. Temos uma equipe alta, forte por cima. Tivemos bom aproveitamento nos últimos jogos."

 

Pronto para ajudar

 

"Onde precisar jogar, tentarei fazer o meu melhor. Na minha carreira joguei em várias posições neste tripé por dentro, tanto pela direita como pela esquerda. Existe uma troca de posição com o Patrick, que joga pelo outro lado, e este é um mecanismo de jogo que a gente vai treinando. O importante é que todos se sintam cômodos na posição que vão exercer para que se tire o melhor de cada um."


Veja também:


26/04/2018 | 11h13min

» Tecnologia: Acesso à internet por TV já é maior do que por tablet, diz IBGE

26/04/2018 | 09h18min

» Denúncia: Cliente cai num golpe ao adquirir produto pela internet num suposto site das Lojas Americanas

25/04/2018 | 06h57min

» Futebol: "Uma grande honra vestir essa camisa", diz Lucca ao vestir a camisa do Inter


Comentários:


Voltar ao topo